Descubra o coworking - Parte 2

No meio empresarial, um dos termos mais comentados nos últimos anos tem sido o “networking”.

A CHEGADA DO COWORKING AO BRASIL

No Brasil, o primeiro espaço de Coworking foi inaugurado em 2008 em São Paulo. Intitulada de Impacto Hub São Paulo, o espaço faz parte de uma rede global que iniciou em Londres em 2005. No ano de 2006, inspirados para desenvolver negócios sociais, Pablo Handl e Henrique Bussacos, começaram a perceber que não existia um espaço que integrasse pessoas com esse objetivo, ou seja, que desejavam empreender e ao mesmo tempo causar impacto social.

Mobilizados por essa intenção e já em contato com os responsáveis pela Impact Hub Londres e com um potencial investidor, a ideia começou a ser desenvolvida. Logo em seguida, o processo de pesquisa de viabilidade da ideia na cidade de São Paulo foi iniciado. Conseguiu-se assim formar um grupo de 17 pessoas que investiram colaborativamente na ideia. Em 2007 lançou-se uma versão teste e em abril de 2008 o espaço foi aberto formalmente, segundo o próprio site da empresa evidencia.

Segundo o Censo Coworking Brasil (iniciativa do Projeto Ekonomio da Moveblae em parceria com Coworking Brasil e apoio do Seats2meet), em 2016 há 378 espaços ativos no Brasil, em relação a 2015 o número representa um aumento de cerca de 52%. O coworking está presente em 26 estados, sendo em São Paulo, 39,15% do total de espaços. No ranking dos primeiros, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná, representam respectivamente 9,79%, 9,25%, 8,99%, do total. No Nordeste quem se destaca é o Ceará, mas representa apenas 2,38%, ou seja, no estado possui apenas 9 espaços.

Mais de 10.000 posições de trabalho. É esse o número estimado pela pesquisa de envolvidos na modalidade atualmente, e que movimentam a economia nos estados. Estima-se que em média, há 57 coworkers por espaço. Pelo modelo diferenciado de atuação e por oportunizar alternativas de trabalho para diversas áreas, no Brasil, segundo os dados, 53 espaços já funcionam 24h por dia.

O resultado do Censo Coworking Brasil 2016 mostra que 73% das receitas dos espaços de coworking advém da locação das posições de trabalho, 61% da locação de salas privativas e 47% tanto da locação de salas de reunião quanto da locação para eventos e treinamentos e workshops. Vale lembrar que uma das características dos espaços é o oferecimento desses espaços para aluguel, atualmente sabe-se que possuem 484 salas de reuniões ativas e 840 salas privativas. Um aumento de 147% e 588% comparado com os dados de 2015.

Mas de quais áreas são os coworkers?

Cerca de 65% são da área de consultoria, 50% da área de publicidade/design, 45% de marketing/internet/startups, 38% da área de Advocacia, 24% da área de negócios sociais/vendas/outros, 20% da área de Educação, 13% das áreas jurídico/artes e 10% do Terceiro Setor/Contabilidade/Moda.

Parte 02 - Série: Descubra o coworking

Autor: Raí Thales (Estudante de Economia na UFS)

 

  • 31/08/2016
  • coworking, compartilhamento